Museus em Amsterdã

Quando grande parte das pessoas pensam em Amsterdã, imaginam construções típicas holandesas, os canais, as bicicletas e o charme característico da região. Mas além de tudo isso, Amsterdã é uma capital cultural; oferece museus e espaços com diferentes temáticas que atendem a todos os tipos de público.

Neste post, dedico-me a contar sobre os museus que visitei nesta temporada em Amsterdã. Conto, sob o meu ponto de vista, aqueles valem a pena serem visitados. É uma enciclopédia para quem quer descobrir o que Amsterdã pode oferecer. 

Acho pertinente destacar que aqui não mencionarei o Anne Frank House e o Van Gogh Museum, pois os visitei em minha primeira viagem à Amsterdã e já os descrevi por lá (caso tenham interesse em saber mais sobre eles, deem uma olhada neste link). De qualquer forma, adianto que os dois são museus imperdíveis, mas recomendo que o ingresso seja comprado com antecedência pela Internet para evitar as filas.

Museum Het Rembrandthuis

Rembrandt é, sem dúvida, um dos artistas mais prestigiados e reconhecidos da Holanda. O Museu Casa de Rembrandt é um edifício histórico do século XVII no qual o artista viveu e trabalhou entre os anos de 1639 e 1658. O local é pequeno, mas muito interessante para quem gosta de arte, história e arquitetura. Eu gostei, especialmente dos ambientes da antiga casa, mas também achei muito interessante de ler sobre como o seu círculo de amigos foi importante nos momentos de sucesso e fracasso. Gostei!  A visita custa € 14, mas quem tem o Museumkaart a entrada é gratuita.

Hermitage Amsterdam

Esse é um museu que eu estava muito ansiosa, pois é a filial do Museu Hermitage de São Petersburgo, na Rússia, um dos maiores e mais bonitos do mundo. Aberto oficialmente em 2009, a filial holandesa está localizado em um edifício do séc. XVII destinado à mulheres idosa (vale lembrar que naquele período, qualquer mulher acima de 50 anos era considerada idosa). O museu possui um acervo próprio que conta a Era de Ouro da Holanda, mostrando como funcionava a sociedade holandesa nos século XVII e XVIII, mas também possui peças aleatórias provenientes do museu russo, além de exposições temporárias. Admito que fiquei bem decepcionada, pois esperava muito mais. É interessante, mas um atrativo dispensável. Caso tenham interesse, o ingresso custa € 25, mas quem tem Museumkaart a entrada custa € 5.

Rijksmuseum

É o principal museu do país. Localizado na Praça dos Museus (Museumplein), é dedicado à artes e história possui uma coleção quem permeia entre os anos 1100 a 2000. Construído no final do século XIX (se bem o museu foi inicialmente aberto em 1800 na cidade de Haia e depois transferido para Amsterdã), o edifício é magnífico. É moderno e com todas as facilidades existentes como conexão de wifi e carregadores de celular, mas ao mesmo tempo acolhedor. É lá que você encontrará todos os grandes mestres como Rembrandt, Vermeer, Van Gogh, Frans Hals, entre outros. Lugar lindo, de muito bom gosto e visita indispensável para quem gosta de arte. Minha dica é: para comprar os ingressos é necessário enfrentar uma fila nada básica, portanto, compre os ingressos online; custa € 20, mas quem tem Museumkaart a entrada é gratuita.

Paleis Amsterdam (Palácio Real de Amsterdam)

Construído no século XVII para servir como a Prefeitura de Amsterdam, em 1808 o edifício passa a ser um palácio real quando serviu de residência de Luiz Napoleão Bonaparte, irmão de Napoleão, rei da Holanda por alguns anos. Ele fez grandes mudanças estruturais e na decoração da edificação que podem ser vistas até hoje. Desde 1939 é usado pela atual família real holandesa com funções políticas e casa de hóspedes para as visitas de Estado. Dentro do complexo é possível visitar 21 cômodos. Há um áudio guide gratuito que explica cada um dos espaços e a história do palácio. Eu sou a “louca do palácio”, portanto achei interessante, pois além de ser um lindo edifício, ele é realmente usado no dia a dia, não é apenas uma casa de bonecas para mostrar às pessoas. Caso tenham interesse, o ticket custa 10 euros, mas quem tem o Museumkaart a entrada é gratuita. No entanto, antes de planejarem o passeio, tenham certeza de que o Palácio está aberto a visitação, pois em muitas ocasiões ele está fechado para compromissos oficiais.

 

Museu de Amsterdã

O Museu está localizado no coração comercial de Amsterdã e foi instalado em uma edificação do século XVI que já serviu como mosteiro e orfanato. Está dedicado à história de Amsterdã, desde a construção das primeiras edificações até os dias atuais. É um museu interativo com vários vídeos e muitos painéis que apresentam diferentes informações. É um local muito moderno, mas para ser sincera não gostei como as informações e objetos são apresentados. É um pouco confuso e desconexo, portanto, não acho o melhor Museu para conhecer. Mesmo assim, caso tenham interesse em conhece-lo, o ticket custa 15 euros, mas quem tem o Museumkaart a entrada é gratuita. Segue abaixo uma foto da fachada do Museu.

 

Museum Willet-Holthuysen

Localizado na Herengracht, uma das vias mais importantes na expansão de Amsterdã durante a fase de ouro da cidade, está casa foi construída no século XVII e pertenceu há várias famílias de mercadores, artistas e banqueiros. A última delas foi Willet-Holthuysen que viveu na casa durante o século XIX e posteriormente a doou para exposição ao público. O museu mostra a vida da aristocracia holandesa nos século XVIII e XIX com móveis e objetos de decoração. É um espaço pequeno e não tem um acervo tão diversificado, mas é interessante para quem gosta dessa temática. Caso tenham interesse, o museu custa  € 12,50, mas quem tem o Museumkaart a entrada é gratuita. Deem uma olhada na fachada do Museu e em uma de suas salas.

 

Tassen Museum Hendrijke (Museum of Bags and Purses)

Também instalado na Herengracht, em um lindo edíficio que pertencia a um prefeito de Amsterdã no século XVII, este museu está dedicado a história da bolsa. Conta com um acervo de colecionadores particulares e traz objetos de vários períodos históricos, estilos e propósitos. É outro Museu pequeno e que, por mais que tenha um acervo interessante, esperava mais. Mas é interessante para curiosos, estudantes de design e moda. O café é um espaço muito gostoso e o salão de chá está localizado em duas salas maravilhosas. Caso tenham interesse, o museu custa  € 13, mas para quem tem o Museumkaart a entrada é gratuita.

 

Museum Van Loon

É uma residência privada construída no séc. XVII. Seu primeiro morador foi Ferdinand Bol, pupilo de Rembrandt. O interior da casa permaneceu intacto durante os últimos séculos e ainda evoca a Idade do Ouro. O nome do Museu se deve ao fato da casa ser propriedade da família Van Loon; Willem van Loon foi foi membro fundador da Companhia Holandesa das Índias Orientais e a casa foi adquirida séculos depois como um presente de casamento. Assim como o Museum Willet-Holthuysen, o espaço também mostra a vida da aristocracia holandesa nos séculos XVII, XVIII e XIX com móveis e objetos de decoração. É um espaço maior que o anterior e tem um acervo um pouco mais diversificado com estábulo, grande jardim e uma ampla área de serviço que faz o visitante imaginar que está em um capítulo da série Downton Abby. No entanto, o mais interessante é que a família ainda mora no endereço. Caso tenham interesse, o museu custa  € 10, mas para quem tem o Museumkaart a entrada é gratuita. Deem uma olhada na fachada do Museu, em uma de suas salas e nos jardins.

Tropenmuseum

É um museu jovem, mais interativo dedicado à cultura de outros continentes. É um espaço amplo que conta com vários objetos e artefatos. Destaco a exposição sobre a Indonésia, território que já foi colônia holandesa. O Museu custa € 16, mas também disponibiliza entrada gratuita para os portadores do MuseumKaart. Recomendo para os amantes de história e de culturas distantes.

The Dutch Costume Museum - Het klederdrachtmuseum

O Museu apresenta uma coleção de roupas típicas holandesas de diferentes regiões do país. É incrível perceber que uma nação tão pequena possui realidades e costumes tão distintos, e, neste caso, como estes costumes e tradições são traduzidos no vestuário. É um espaço pequeno, composto por apenas sete salas, mas as roupas apresentadas são realmente lindíssimas, cheias de cores, adornos e significados. Caso tenham interesse, o museu custa  € 10, mas para quem tem o Museumkaart a entrada é gratuita. Recomendo para quem gosta de arte, vestuário, história ou quer conhecer mais a fundo a história holandesa.

Stedelijk Museum

Localizado na Praça dos Museus, assim como o Rijksmuseum e o Museu Van Gogh, é o maior museu de arte moderna e contemporânea da Holanda. Possui 700 peças agrupadas de acordo com o movimento histórico e temas sociais. É possível ver obras de artistas modernistas como Picasso, Mondrian, Chagal; a pop art de Warhol e Roy Lichtenstein, além de peças de design e obras muito contemporâneas. Eu não sou a maior fã de arte moderna e muito menos de obras contemporâneas, portanto o Museu não me chamou tanto a atenção. A coleção modernista é de muito bom gosto, mas achei a ala vanguardista demais para mim, não deu. Não acho que vale a pena, a não ser que seja fascinado por arte contemporânea, pois o ingresso é muito caro (custa € 18,50 se você não tiver o MuseumKaart) e o Stedelijk Museum é relativamente pequeno, quando comparado a outros museus de arte de Amsterdam.

 

Assim termino meu postEspero que tenham gostado e acompanhem minhas próximas aventuras pelo mundo.

Tot ziens!