Visitando o Equador (Guayaquil, Cuenca e Quito)

Ainda com o objetivo de explorar a América, neste verão visitei o Equador. O Equador é um país que eu queria conhecer a muitos anos, mas como é um destino caro (dá para visitar a Europa com o mesmo valor!), acabei adiando um pouquinho esse desejo. 

Para quem não sabe, o Equador fica na América do Sul entre a Colômbia e o Peru. Foi o primeiro país da América Latina a entrar nos movimentos de independência contra a monarquia espanhola, portanto é conhecido como “Luz da América” e, depois de passar por um período de ditadura, vive hoje como uma república presidencial no qual seus governantes são muito bem vistos pela população local (situação difícil na atual conjuntura política mundial!). A principal língua do Equador é o espanhol, mas por haver uma grande comunidade indígena, outros idiomas como o quíchua também são falados pelas diferentes regiões do país.

img_5179

O país é famoso pela qualidade do seu chocolate, já que é um dos maiores e melhores produtores de cacau do mundo; pela exportação de rosas e pelo petróleo. A economia é dolarizada, portanto o dólar é a moeda oficial. No entanto, os trocados distribuídos nas lojas são dólares cunhados no próprio Equador, então minha primeira dica de viagem é: quando estiverem no Equador e ganharem moedas de dólar equatoriano, gaste-as enquanto estiver por lá, caso contrário, vocês perderão dinheiro, pois elas não são aceitas em outro lugar.

Dessa vez, voei de Latam saindo do Aeroporto Internacional de Guarulhos com escalas. Não há voos diretos do Brasil para o Equador, então a melhor saída é comprar voos com o menor número de escalas possível para não passar dias entre as salas de embarque dos aeroportos. Afff! E tenho que destacar que os aeroportos do Equador são mara; modernos, bonitos, limpíssimos, práticos; estou para dizer que são os melhores da América Latina.

Para este post vou contar minha viagem pelas cidades que visitei. Vou fazer um panorama geral da cidade e depois tentarei me concentrar nos atrativos turísticos em si. Entre as explicações disponibilizei algumas fotos e especifiquei o preço de algumas atrações.

Guayaquil

Mesmo não sendo a capital do país, Guayaquil é a maior cidade do Equador com pouco mais de três milhões de habitantes. Fundada em 1538, sua economia é baseada na importação e exportação de produtos, pois possui o maior porto do país. Eu devo dizer que essa foi a surpresa da viagem. Fui para Guayaquil achando que a cidade seria um mico, pois possui poucos atrativos turísticos, mas me surpreendi. É uma cidade com avenidas largas, extremamente limpa, segura, super arborizada e muito organizada. Foi nossa primeira cidade no Equador e a primeira impressão do país foi a melhor possível. Deem uma olhada em alguns edifícios do centro.

img_5043

img_5036

img_5044

Durante nosso período na cidade, visitamos o Malecón 2000, um calçadão beira-rio muito agradável que percorre pouco mais de dois quilômetros e oferece estabelecimentos gastronômicos, atividades de lazer para toda a família e uma roda gigante bacana nos moldes da London Eye. Também visitamos o bairro de Las Peñas, uma região histórica de Guayaquil cuidadosamente restaurada. A região possui hotéis boutique, galerias de arte e restaurantes. Esse atrativo foi uma agradável surpresa, pois ele é muito mais charmoso que o exibido nas fotos dos blogs de viagem. Recomendo a visita tanto no período do dia como da noite. Deem uma olhada!

img_5063

img_5060

Fechamos nossos passeios na cidade com uma visita ao Parque Histórico de Guayaquil, um parque público e gratuito que mostra três facetas do destino. A primeira destaca a fauna e flora local, com animais de diferentes espécies dispostos em parte da floresta tropical; a segunda mostra edificações antigas de Guayaquil que foram retiradas do centro da cidade e transladadas para o Parque, todas muito bem conservadas e a terceira mostra sobre a vida na Costa Equatoriana, exibindo a questão do cacau e o cotidiano da região. O Parque é muito agradável, extremamente bem cuidado e agora oferece até um hotel super luxo por lá (Hotel del Parque). Gostei e o recomendo, deem uma olhada!

img_5121

img_5129

Em Guayaquil fiquei hospedada no Windham Hotel, um dos melhores hotéis da cidade. Ele é realmente muito bom; moderno, cheiroso, ótima estrutura e bem localizado, ao lado de Las Peñas. Recomendo!

img_5065-2

img_5031

Cuenca

Se Guayaquil foi a surpresa da viagem, Cuenca foi a decepção! Fundada em 1557, Cuenca é a terceira maior cidade do Equador com poucos mais de 700 mil habitantes. É declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO e pelo que havia lido sobre o destino, seu centro histórico é considerado por muitos como o mais bonito das Américas. No entanto, as poucas coisas que me chamaram a atenção na cidade foram: (I) a praça central onde é possível ver a enorme Catedral de la Inmaculada Concepción (foto abaixo) e a antiga catedral barroca localizada do outro lado da praça.

img_5100

(II) A fábrica de chapéus Homero Ortega, uma das muitas marcas que produz o famoso chapéu Panamá.

img_5083

img_5130

(III) E a típica roupa das mulheres de Azuay (província na qual Cuenca é capital). As mulheres andinas são extremamente vaidosas com suas trancinhas características; sempre muito bem produzidas com meia calça, saia de veludo (falda de terciopelo), muitas dessas saias eram bordadas à mão. Queria ter tirado foto delas, mas fiquei com vergonha. Então, vai ficar para a imaginação. Desculpem-me!

img_5107

img_5111

Quito

Fundada em 1534, Quito é a capital do Equador, mas é somente a segunda cidade mais populosa do país com pouco mais de dois milhões de habitantes. Por sua riqueza natural, geográfica, arquitetônica, cultural e estética foi reconhecida pela UNESCO como o primeiro Patrimônio Cultural da Humanidade em 1978. Vale ressaltar que este título, se deve em parte ao Centro Histórico da cidade que possui o maior conjunto arquitetônico do século XVII da América Latina.

A cidade está localizada em um vale cercado por cadeias de montanhas e vulcões, e por conta de sua altitude (2.850 metros acima do nível do mar), o clima é fresco (para não dizer frio) e constante. Quito está situada aproximadamente a 35 km a sul da linha do Equador. Um monumento marca o local, conhecido como La Mitad del Mundo, mas já conto mais sobre ele. Diferente de Guayaquil, Quito tem ruas mais estreitas e é mais caótica, mesmo assim, não menos segura. Como o principal atrativo da cidade é o centro histórico, tiramos alguns dias para explorá-lo. Para ser sincera, além da Plaza de la Independencia, também conhecida como Plaza Grande, espaço no qual está a Catedral Metropolitana de Quito e o Palácio Presidencial, e a região de La Ronda, não achei o centro histórico tão bonito como o de outras cidades latino-americanas como Bogotá, Cartagena de Índias e Ciudad de Panamá. Mas, em compensação, acho que Quito deveria ganhar o título de cidade com as igrejas mais bonitas do mundo. Sou uma aficionada por igrejas, pois aprecio demais arte e arquitetura, mas na minha vida toda nunca encontrei uma cidade com TANTAS igrejas de tirar do fôlego.  A cidade tem tantas igrejas em um mesmo espaço que ela é conhecida como o “Claustro da América”.

Vamos falar um pouquinho sobre elas:

Igreja da Companhia de Jesus – É a igreja mais bonita que já vi na vida e olha que eu já visitei MUITAS igrejas nesta minha vida. Em estilo barroco, a igreja levou “apenas” 160 anos para ser concluída.  Ela é toda coberta em ouro em um trabalho chamado pan de oro (talhada em madeira e coberta com ouro). A visita custa US$ 5.

img_5159

Convento de São Francisco – Em minha opinião é a segunda igreja mais bonita de Quito. Considerada a igreja mais antiga da cidade Quito (1535), o interior barroco apresenta trabalhos em pan de oro que também tiram o fôlego de qualquer um que aprecie arte. Caso tenham interesse, a visita à Igreja é gratuita, mas o espaço do antigo Convento também está aberto à visitação e custa US$ 2.  

img_5161

img_5162

Catedral Metropolitana de Quito – É a principal igreja da cidade. Foi construída entre 1535 e 1567 e mistura diferentes estilos arquitetônicos. A visita custa US$ 2. 

img_5156

Sobre os demais atrativos:

Museu Ciudad – Durante meus dias em Quito visitei outras igrejas e museus que nem vou explicar, pois não acho que valem tanto a pena, mas esse museu vale muito. Localizado em uma construção colonial que serviu como hospital, o Museu de la Ciudad (US$ 2) mostra a história de Quito e do Equador. Ele é interativo, com vários objetos. O mais legal foi ver que além do espanhol, todas as explicações também estavam em Inglês e Quíchua (super inclusivo). Recomendo!

img_5166

img_5167

Palácio Presidencial – O Palácio tem visita de hora em hora e entrada gratuita. Só é necessário apresentar documento de identificação com foto e reservar a visita com antecedência na cabine ao lado da entrada central. É um palácio bonito e fiquei empolgada, pois durante a visita pude ver o presidente. Não é uma visita fenomenal, mas é legalzinho.

img_5158

img_5141

Ciudad Mitad del Mundo – É um parque localizado na cidade de San Antonio, a 26 quilômetros ao norte de Quito. No local tem o “Museo Etnográfico Mitad del Mundo”, um Planetário e uma ala que explica a missão francesa que no século XVIII realizou experimentos nos pólos. No entanto, o mais importante de Parque é o monumento de 30 metros de altura que marca o ponto onde se acreditava que a linha do equador atravessava o país (US$ 3,50). É legal, mas o que mais me impressionou foi a estrutura do Parque em si. Muito bem bolado, organizado e impecavelmente limpo.

img_5189

img_5192

Na foto acima meu pé direito está no hemisfério sul e meu pé esquerdo está no hemisfério norte. Achei super bacana!

Ao lado do Parque fomos no Museu Intiñan In Situ, um local que mostra sobre a cultura dos indígenas pré e pós-incas e faz alguns experimentos físicos que mostram as reações nos diferentes hemisférios e em latitude zero. Eu tive que equilibrar um ovo em um prego no ponto zero do mundo e consegui a façanha com facilidade. Ganhei até um certificado por isso. Rsrsrsrs…. O museu é interessante e custa US$ 4.

Em Quito fiquei hospedada no Hilton Quito. O Hotel está localizado em frente ao Parque El Ejido. Apesar da boa localização, do serviço prestativo, da cama maravilhosa e da reconhecida bandeira, eu achei que o hotel precisa de uma atualização. De qualquer forma, segue abaixo uma foto do quarto para vocês darem uma olhada.

img_5133

Impressões Gerais

E assim terminou mais uma viagem. Eu adoro viajar para a América do Sul, pois às vezes nós brasileiros sentimos uma soberba com relação aos nossos vizinhos latino-americanos, mas quando estamos em alguns desses países, acabamos com o nosso nariz empinado, pois percebemos que a América Latina é tão alegre, fascinante, rica e diversa como o nosso país. Sobre a minha estada pelo Equador, eu gostaria de destacar quatro pontos:

a) Comida: Eu achei a comida equatoriana maravilhosa; muito farta, colorida e parecida com a nossa. Eles têm uma quantidade absurda de frutas e todas extremamente doces. Experimentem! Os pães e laticínios são deliciosos! Os chocolates são de altíssima qualidade; em grande parte, orgânicos e com prêmios internacionais de qualidade (comprei muitos, olhem abaixo o meu estoque!).

img_5211

No entanto, o meu destaque é para o básico arroz com feijão. O arroz com menestra (feijão com molho típico equatoriano) acompanhado de uma carne (a carne deles, seja ela de boi ou de frango, também é ótima) é o mais básico que vai encontrar por lá. Nem preciso contar que voltei com uns dois quilos a mais na balança. Ahhh! Se eu puder destacar alguma coisa esquisita tipicamente equatoriana é o costume de comer uma comida muito reforçada no café da manhã. Logo de manhã eles já estão com um pratão de arroz, feijão, salada e frango. Achei estranho no começo, mas logo me acostumei. Falando de bebida, não deixem de experimentar o Canelazo, um tipo de aguardente que pode ser feita de frutas, canela, entre outros condimentos. Geralmente é servido como um drink de boas vindas no comércio, mas você também pode achar em barraquinhas de comida. Muito bom!

b) Povo: Os equatorianos estão longe de serem as pessoas mais bonitas do mundo, mas sem dúvida estão entre os mais queridos. Os taxistas estavam sempre dando boas vindas; as pessoas na praça puxavam papo com os turistas, inclusive falando em Inglês. Todos sempre muito gentis e prestativos. Recebi até um abraço e presentinhos da moça que vendeu parte dos meus chocolates. Me senti super acolhida! 

c) Cheiros: Uma das coisas que mais me chamou a atenção é como os equatorianos são ligados aos cheiros. As lojas, os shoppings e os hotéis estão sempre com cheiros muito marcantes. Até as barraquinhas de comida e artesanato tinham um incenso sempre acesso (incenso perto da comida era meio estranho, vamos combinar?!). Baunilha, cheiro de lírio, laranja, canela eram apenas alguns dos muitos cheiros que encontrávamos por todos os cantos. Adorei!

d) Preços: Mesmo que os preços sejam expressos em dólar, quando transformados em real , os valores dos produtos e serviços são muito parecidos com os do Brasil. No entanto, devo destacar que os ônibus e táxis são muito baratos (os taxistas não usam taxímetro, as tarifas são estipuladas pelo trecho percorrido), mas os produtos importados são muito caros.

Espero que tenham curtido ler minha experiência no Equador e quem sabe não os incentivo a planejar uma viagem por lá.

¡Hasta luego!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.