Compras e diversão em Miami

Miami era um destino que eu queria conhecer há anos, pois muitos dos meus amigos já haviam comentado que era um lugar muito bonito e divertidíssimo. Entretanto, por conta de outras viagens e compromissos diversos, acabei deixando esse destino meio de lado. Depois de tanto tempo, achei que esse era o momento de finalmente conhece-la. A viagem foi organizada meio de última hora por conta dos meus compromissos com o doutorado, mas no fim, deu tudo certo.

Para quem não sabe, Miami é uma metrópole localizada ao sul da Flórida. O condado de Miami possui mais de 5 milhões de habitantes e faz parte do Caribe.  De clima quente e praias de águas azuis, Miami é considerada a cidade mais latina dos Estados Unidos (nos meus dias em Miami só deu brasileiros e argentinos). Seus atrativos turísticos a transformaram em um dos destinos americanos mais visitados do mundo. É engraçado pensar que até duzentos anos atrás, toda a região fazia parte do território espanhol e que Miami, mesmo que internacionalmente conhecida, é uma cidade jovem, já que foi criada somente no final do século XIX. A região, a princípio, era apenas um pântano habitado por duas grandes tribos indígenas. A própria palavra Miami é de origem indígena. Hoje, as tribos que habitavam a região ainda vivem por lá, mas se dedicam ao turismo e controlam os cassinos do Condado.

 1ºDia

Minha viagem começou no Aeroporto de Guarulhos no início da manhã. Depois de uma longa viagem de quase 8 horas com a American Airlines, finalmente chegamos ao Miami International Airport (MIA). Meu primeiro susto foi com o próprio Aeroporto. As filas na Imigração eram gigantescas (e olha que eu cheguei no meio da tarde, um horário que deveria ser mais tranquilo). Tudo era meio confuso. Era confuso pegar as malas e sair do setor de desembarque (Nunca enfrentei uma fila tão grande para sair do desembarque de um Aeroporto). Era confuso até para pegar um táxi… (By the way, os táxis são péssimos!). Enfim, poucas vezes na minha vida senti saudade dos aeroportos brasileiros. Fizemos o check-in em nosso hotel no final da tarde e aproveitamos o restante do dia para fazer um reconhecimento da área.

Hotel é sempre uma escolha importante para mim. Eu estava procurando um estabelecimento em South Beach, pois é a principal região turística de Miami e sabia que queria ficar em um hotel, pois esse negócio de ficar em apartamento não é comigo. Havia várias opções interessantes em Miami Beach, uma pena as tarifas estavarem tão altas. Acabei optando pelo Pestana South Beach Art Deco, um empreendimento da rede Pestana (rede que eu já trabalhei no meu passado) aberto recentemente e localizado a poucas quadras da Lincoln Road. Encontrei uma tarifa super bacana online e fiquei extremamente satisfeita com a minha escolha. O hotel tem um aspecto praiano, menos formal, mas os quartos têm um tamanho ótimo e o atendimento foi surpreendente. Deem uma olhada nas fotos…

IMG_2695

 IMG_2693

IMG_2603

2º Dia

Hoje tiramos o dia para fazer um city tour completo pela cidade. Na compra do passeio, optei pela Eagle Tours, uma empresa turística que oferece passeios em português. Fui feliz com minha escolha, pois a Thais, nossa guia, foi muito atenciosa, profissional e solícita. Durante nosso passeio, visitamos os principais pontos turísticos de Miami. Começamos nosso tour em Miami Beach (que é uma cidade e não um bairro), passando pelo Art Deco District onde andamos pela Lincoln Road, Española Way e Ocean Drive. Ahhh! Fiquei impressionada ao saber que Miami Beach se desenvolveu no início do século XX e possui o maior conjunto arquitetônico em Art Decó do mundo com mais de 900 edifícios neste estilo. É muito bacana! Deem uma olhada nos edifícios da Ocean Drive.

IMG_2718

IMG_2646

De lá passamos rapidamente por Downtown e pela Brickell Avenue (onde fica o centro financeiro de Miami). Andamos ainda pela Coconut Grove, um bairro tranquilo e muito americano e paramos na Coco Walk, um centro comercial cercado por ruas comerciais e onde é possível encontrar vários estabelecimentos gastronômicos agradáveis. Nossa próxima parada foi em Coral Gables, um dos primeiros bairros planejados de Miami, onde passamos pelo lindo e tradicionalíssimo Biltmore Hotel e pela Venetian Pool (que infelizmente estava fechada para manutenção). Essa parte da cidade é muito bonita, imperdível! Passamos por Little Havana onde provamos o maravilhoso café cubano conhecido como Café Colada (meu vício de viagem). A comunidade cubana em Miami é gigantesca (são 1,5 milhão de cubanos e descendentes só no Condado de Miami-Dade) e eles possuem valores e costumes muito marcantes. Terminamos nossa primeira parte do passeio em Bayside, um centro comercial de onde sai vários barcos que fazem passeios pela Baía de Biscayne. No meio da tarde fizemos um passeio de barco pela Baía, passando pelas principais ilhas de Miami (todas artificiais) como a Star Island e a Fisher Island. Essas ilhas são famosas, pois são onde astros como Ricky Martin, Gloria Estefan, Xuxa, Tom Cruise, Jennifer Lopez possuem casas. No final do passeio, o barco foi acompanhado por golfinhos exibidos, muito fofo! Terminamos nosso dia jantando e passeando pela Lincoln Road. Ahhh! Caso estejam interessados, paguei US$ 65 pelo passeio completo (city tour + passeio de barco por Biscayne Bay). Segue abaixo uma foto da Coco Walk.

IMG_2653

 3º Dia

Tour de Compras. Hoje foi dia de conhecer o Sawgrass Mills. Localizado na cidade de Sunrise, há quase uma hora de ônibus de Miami, esse outlet é considerado o maior dos Estados Unidos com mais de 350 lojas. O lugar é realmente gigantesco! Ele congrega tanto lojas indoor, em um sistema similar aos nossos shoppings, como também possui lojas ao ar livre. É meio confuso (me perdi algumas vezes, mesmo com um mapinha em mãos), mas tem as principais marcas americanas e internacionais. Além disso, se procurar com muita calma, é possível encontrar ótimas opções e barganhas. Como sou mais do tipo window shopping (aquela que adora olhar as vitrines, mas que não compra nada), acabei adquirindo pouquíssimas coisas. No entanto, super recomendo o passeio, principalmente para os brasileiros que estão querendo reabastecer os armários. Fiquei no Outlet até às 21hrs (nem acredito que aguentei ficar tanto tempo!). Para chegar ao shopping, tomei um ônibus turístico específico que me buscou no hotel. A própria Sawgrass Mills faz esse tipo de transporte, mas também há várias outras empresas independentes que fazem o mesmo trajeto, inclusive empresas de donos brasileiros. Paguei US$ 25 pelo trajeto de ida e volta. Abaixo coloquei uma foto de parte do Sawgrass Mills onde é possível encontrar as lojas mais chiques como Prada e Valentino. 

IMG_2684

 4º Dia

Hoje fez um lindo dia de sol, portanto aproveitamentos a manhã para conhecer a praia e passear pelo calçadão. O mar em Miami não é tão azul quanto em Cancun-México ou Varadero-Cuba e possui muitas algas, mas não deixa de impressionar. Na verdade, o que mais chamou minha atenção foi o calçadão super bem cuidado que termina na Ocean Drive (a Avenida Beira Mar). No Domingo, ele estava lotado de pessoas caminhando, correndo e andando de bicicleta. Deem uma olhada…

IMG_2699

IMG_2701

IMG_2705

Também demos uma passadinha pela Ocean Drive para ver a animação dos restaurantes e da ferinha local. Ahhh! Passamos pela casa do Gianni Versace que hoje é um restaurante chiquetoso. Fiquei impressionada como a mansão está bem localizada. À tarde, dei uma caminhada pela animada Lincoln Road onde estava acontecendo uma feira do produtor (super bacana!) e fiz umas comprinhas em lojas de beleza (Depois dou umas dicas sobre esse quesito!).

 

5º Dia

Hoje foi dia de conhecer o centro da cidade e explorar o transporte público de Miami. Tomamos um ônibus coletivo até Bayside (péssimo em todos os sentidos!). Chegando em Bayside e pegamos um Trolley (um tipo de bonde turístico gratuito que passa por vários pontos turísticos centrais da cidade) até o Viscaya Museum & Gardens. O Viscaya é uma mansão construída por James Deering, um executivo de Chicago, na década de 1910 em Coconut Grove. O que chama a atenção nesta edificação é que ela foi inspirada nos palácios europeus. Cada cômodo foi decorado de acordo com um estilo arquitetônico distinto que vai do renascentismo italiano ao rococó francês. Isso foi feito de propósito para dar a impressão de que várias gerações da família moraram na casa. A mansão é lindíssima e fiquei extasiada, mesmo tendo conhecido vários dos maiores e mais pomposos palácios europeus. Além da construção em si, o que também chama a atenção é o charmosíssimo jardim. Havia várias debutantes por lá tirando fotos. É um lugar que eu queria muito conhecer e não me arrependi em nenhum momento. O ingresso custa US$ 18. Deem uma olhada…

IMG_2747

IMG_2754

 IMG_2758

Voltamos de Trolley até a Brickell, onde fica o centro financeiro da cidade e pegamos o Metromover (outro transporte gratuito que é como um metrô de superfície, que anda em trilhos assentados em bases de concreto) para visitar o centro da cidade. Andamos um pouco pelo centro da cidade, mas fiquei meio assustada com a região. Mesmo que o centro tenha lindas edificações históricas, era um lugar cheio de gente esquisita, com um comércio ruim e muito vazio. Voltamos para o hotel no final da tarde e terminamos o dia jantando no Lincoln Road. Segue abaixo uma foto do Trolley e da moderna Brickell.

IMG_2766

 IMG_2743

6º Dia

Hoje foi mais um dia dedicado às compras. Fomos ao Bal Harbour, o shopping mais chique da cidade. O Bal Harbour é um shopping muito parecido com o Cidade Jardim em São Paulo (acho que o Cidade Jardim se inspirou na versão americana). Ele é aberto, muito arborizado e congrega várias marcas de luxo como Chanel, Dolce Gabbana, Van Arpels and Cleef, Tiffany´s, entre outras, além das lojas de departamento Saks Fifth Avenue e Neiman Marcus. Mesmo que o local tenha lojas super chiques, fiquei um pouco decepcionada. Esperava um shopping maior, com mais opções de compras e mais espaços gastronômicos. Até mesmo as lojas de departamento não são tão amplas e completas com as suas filiais de Nova York.

IMG_2768

À tarde fomos à Macy´s, localizada em Miami Beach. Também não é uma loja tão legal com a filial nova-iorquina. À noite, almocei com minha queria amiga Tati que está morando em Miami em um Grill na Lincoln Road (estão vendo que eu estou meio viciada na Lincoln Road, não?!)

7º Dia

Pela manhã fomos ao Miami Design District, um bairro ao norte do centro de Miami onde estão localizadas várias lojas voltadas ao luxo e design. A região é muito bonita, lembra muito a Rodeo Drive em Beverly Hills. Mesmo que ainda tenha muitas lojas em processo de abertura, é uma região agradável que vale a pena dar uma passadinha. Ahhh! Também é possível chegar ao bairro com o Trolley a partir do centro da cidade. Deem uma olhadinha em um dos shoppings da região…

IMG_2771

Pela tarde, fomos ao Dolphin Mall, um outlet localizado próximo ao Aeroporto. O Dolphin Mall é mais bem dimensionado que o Sawgrass Mills, mas é bem menor e não tem as mesmas opções. Eu senti falta de várias marcas bacanas, portanto, em minha opinião, o Sawgrass Mills é o melhor. Assim como o Sawgrass, o Dolphin Mall também oferece um transporte específico até o shopping, mas ele só funciona a partir do centro da cidade (Downtown) ou do Aeroporto. Caso tenham interesse, o trajeto de ida e volta custa US$10.

 8º Dia

Como esse foi meu último dia em Miami, quis passar a manhã no hotel descansando e aproveitando a piscina aquecida (Oba!). Pela tarde, demos uma última voltinha na Lincoln Road para as compras de última hora, na Collins Avenue e passamos pela praia para nos despedirmos do mar. À noite retornamos ao Brasil. Por fim, deem uma olhada na charmosa Lincoln Road…

IMG_2606

IMG_2605

Há muito tempo atrás um colega havia me dito que Miami era a cidade mais bonita que ele já tinha conhecido. Hoje acho que ele deve ter visitado poucas cidades em sua vida, pois Miami está longe de ser uma cidade de beleza estonteante. No entanto, achei muito bacana ver as lindas construções art decó de Miami Beach. Achei bacana o skyline de Downtown e de Brickell (em qualquer hora do dia). Achei bacana navegar pela Biscayne Bay e ver as mansões chiquérrimas de frente para o mar. Adorei caminhar pela Lincoln Road e ver pessoas de todas as idades e de todos os países apenas aproveitando a cidade. E viciei no Café Colada, super forte e doce. Mesmo com tudo isso, devo admitir que eu esperava mais… Fiquei particularmente incomodada em perceber como a cidade é espalhada. Você leva muito tempo para ir para qualquer canto. Também fiquei incomodada com o tráfego intenso de carros, principalmente em Miami Beach. Fiquei extremamente incomodada em ver a insistência dos vendedores em conversar comigo em Espanhol, mesmo quando eu falava e insistia no meu Inglês. De qualquer forma, viajar é sempre bom e fiquei muito feliz de ter conhecido mais esse destino norte-americano.

Ahhh! Segue as dicas de compras: Eu estou longe de ser uma expert em compras e tenho horror a muambeiros, mas é difícil ir para os Estados Unidos e voltar de mãos vazias. Portanto segue algumas pequenas dicas a partir da minha experiência em Miami. 1) Diferente do que eu imaginava, o comércio de Miami não é tão diversificado como as pessoas comentam. Não encontrei várias das minhas encomendas e percebi que, o paraíso das compras nos Estados Unidos fica, sem dúvida, em Nova York e não em Miami. De qualquer forma, para comprar roupas e calçados, a melhor opção são as outlets. Acho que o Sawgrass Mills, mesmo sendo muito grande e confuso, é o local que oferece o maior número de lojas. 2) Caso vocês estejam procurando obras de Romero Britto (o maior embaixador de arte da Flórida), comprem suas peças na Little Havana Visitors Center Calle Ocho em Little Havana, pois é onde oferece o menor preço. Os locais mais caros são na galeria de arte localizada no Bayside e no Duty Free do Aeroporto de Miami. Tomem cuidado! 3) Não deixem de visitar as farmácias americanas, pois elas são completíssimas, parecem até um supermercado. Eu recomendo a CVS, pois ela é gigantesca e fica aberta 24 horas. 4) Sobre os cosméticos, minhas dicas são: Não vale a pena comprar cosméticos da M.A.C. nos Estados Unidos, pois os preços são basicamente os mesmos do Brasil e no nosso país ainda podemos parcelar as compras. Caso queiram comprar outros produtinhos, não os adquira na cidade, pois no Duty Free do Aeroporto de Miami você encontra todas as opções possíveis por um precinho mais camarada.

See you soon!

4 comentários sobre “Compras e diversão em Miami

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.