Documentos e vistos de viagem

O tema deste post surgiu a partir das minhas aulas de Agência de Viagens e Transportes e percebo que é uma das dúvidas mais frequentes entre os turistas, principalmente aqueles que estão viajando pela primeira vez ou que ainda tem pouca experiência de viagem. Quais documentos eu devo levar em uma viagem? É necessário de visto para viajar para um país estrangeiro? É necessária alguma vacina específica? Pensando nestas dúvidas, escrevi um post didático sobre o assunto. Já começo explicando que o texto foi baseado na minha experiência e vivência sobre o tema.

Caso vocês tenham interesse em dicas práticas a respeito de viagens, eu tenho outro post sobre como arrumar uma mala e se preparar para uma viagem, é só clicar no link aqui.

Então, vamos por partes… Se vocês estão se preparando para viajar por alguma região do Brasil, lembrem que, independentemente do meio de transporte escolhido (carro, ônibus ou avião), é necessário estar com um documento de identificação com foto em mãos, seja ele: Carteira de Identidade, Carteira de Motorista, Passaporte, etc. Crianças e adolescentes precisam se adequar a uma legislação ainda mais rígida; caso tenham interesse em se aprofundar sobre o tema, deem uma olhada no texto escrito por Camila Sayuri no IG São Paulo (http://turismo.ig.com.br/manual-do-viajante/dicas/confira-os-documentos-necessarios-para-viajar-com-criancas/n1597235788638.html).

E para viagens internacionais, quais são os documentos necessários?

Caso a viagem seja para o Mercosul, bloco econômico formado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, é necessário apenas um documento de identificação atual com foto. Eu estou deixando bem claro a palavra “atual”, pois viajar com identidade antiga, na qual o viajante ainda está com carinha de criança e completamente irreconhecível não é aceito em alguns países como a Argentina. Outros países da América do Sul como a Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela também aceitam a carteira de identidade como documento de identificação do viajante. No entanto, eu sempre, em qualquer ocasião, viajo com o passaporte, pois se o rapaz da imigração implicar com o meu documento de identidade, é capaz de ser mandada de volta ao Brasil antes mesmo de sair do aeroporto. Sim, eu sou toda encanada com imigração! Além disso, não tem nada mais chique que um passaporte cheio de carimbos de viagem. #ostentacaodoviajante


Como e onde eu solicito meu passaporte?

No Brasil, os passaportes são emitidos pela Polícia Federal (http://www.pf.gov.br/servicos-pf/passaporte/requerer-passaporte/requerer-passaporte). Vocês entram na home page da Polícia Federal, preenchem todos os dados exigidos e em seguida, é emitido um boleto de pagamento (GRU). Após o pagamento e compensação do boleto, vocês agendam pela própria Internet o local, a data e horário mais conveniente para a entrega dos documentos requisitados e entrevista (dentro da disponibilidade da Polícia Federal). Por favor, cheguem à entrevista com, pelo menos, 15 minutos de antecedência. A Polícia Federal tem uma pontualidade britânica (tentando fazer um trocadilho!) e se houver atraso, tchau passaporte. Nesta entrevista, vocês irão apresentar os documentos solicitados pela Polícia (a lista de documentos se encontra no próprio site da Instituição – é bem grande e a falta de um dos documentos inviabiliza todo o processo), tirarão uma foto e serão solicitadas suas impressões digitais. Após a entrevista, a atendente informará a data provável da entrega do passaporte. Geralmente a entrega é em 6 dias úteis (pode ser mais rápido ou pode levar mais tempo, então não deixem para a última hora!). A entrega do passaporte é feita na mesma unidade onde vocês fizeram a entrevista e é pessoal e intransferível, quer dizer, não dá para pedir para o colega buscar o documento. O custo do passaporte (seja o primeiro ou apenas uma renovação) é de R$ 257,25 (salgado!) e tem validade de 10 anos. Atenção! Para crianças e adolescentes de até 18 anos, a validade do passaporte é menor. Se for o caso de vocês, informem-se. Todo o processo é burocrático, mas funciona direitinho, não se preocupem!


Já tenho um passaporte, posso viajar para qualquer lugar?

O brasileiro com um passaporte válido pode viajar por 100 destinos diferentes em todo o mundo, mas há vários países que ainda exigem um documento (visto) de entrada, seja com o propósito de turismo, de estudo, de permanência, entre outros. Cada visto terá uma exigência específica e um período de validade distinto.

Quais são os países que exigem visto?

Na dúvida, eu sempre pesquiso este tipo de informação no site dos despachantes, empresas relacionadas ao setor turístico que auxiliam nos trâmites para a solicitação de visto. Um dos despachantes disponíveis no mercado, a Bernardini (http://www.bernardini.com.br/noticias/templates/template2.asp?articleid=2&zoneid=20) tem em sua home page  um link chamado “Busca Rápida de Vistos por País” (está no canto direito da página). Neste link, é só selecionar o país que vocês têm interesse e eles mostram se o destino exige visto e todos os vistos disponíveis para aquela localidade. Há alguns países que exigem apenas o visto eletrônico. É um documento emitido eletronicamente no qual permite a estada do visitante no país por determinado período. Ele também é solicitado pela Internet e o pagamento das taxas é efetivado real time pelo cartão de crédito. O México é um dos países que oferece esta opção e é muito prático e rápido.

Informações importantes!

Para requerer qualquer visto, é necessário que o passaporte tenha, no mínimo, 6 meses de validade. Portanto, se vocês estão com o passaporte vencendo, peçam uma renovação e só com o novo passaporte em mãos, solicitem o visto.

Não solicitem vistos em cima da hora. De acordo com o período do ano ou por questões econômicas e políticas, o visto pode levar mais de 3 meses (leia-se Estados Unidos) para ser emitido e sem visto, tchau viagem! 

Para tirar o visto de algum país estrangeiro eu preciso procurar um despachante?

Não necessariamente. O visto pode ser solicitado diretamente no consulado ou embaixada do país que vocês têm interesse em visitar. Alguns deles irão requerer apenas a apresentação de documentos e o pagamento de uma taxa específica; outros exigirão uma entrevista pessoal com o solicitante. Neste caso, o despachante auxilia em todo o trâmite, é muito mais prático e rápido, mas ele também cobra uma comissão por esse serviço, portanto, vejam o que vale mais pena para vocês: comodidade ou preço.

Já solicitei o visto, paguei todas as taxas e entreguei toda a documentação exigida pelo consulado. Mesmo assim, é possível que meu visto seja negado?

Sim. Os consulados possuem um perfil de pessoas que eles consideram “suspeitas”. Pessoas que podem entrar no país como turista, mas que tem a intenção de ficar ilegalmente no local. Portanto, se vocês são jovens, sem vínculo empregatício no Brasil, sem bens, sem investimentos financeiros no país, entre outros fatores, poderão ter seus vistos negados. Não estou dizendo que isso irá acontecer, mas a chance é maior. Países como os Estados Unidos, por exemplo, tem aumentado a taxa de recusa de visto para brasileiros. Outros fatores como pessoas com pendências e procuradas pela Justiça, Interpol (Polícia Criminal Internacional) e CIA (Serviço de Inteligência Americana) também terão seus vistos negados. Durante o período de avaliação, os órgãos consulares analisam, cruzam dados e verificam todas as possibilidades. Mas, como mencionei, vão com fé e se tiverem o visto negado, tudo bem, tentem outras vezes.

Já tenho o visto. Ainda há chance de não conseguir entrar no país desejado?

Sim. O visto é apenas a primeira etapa para a entrada no destino. Assim que se chega no país estrangeiro, todos os turistas passam por guichês de imigração no qual será questionado sobre o destino final, propósito da viagem, aonde irão se hospedar, se possuem bilhete de retorno comprado, se possuem dinheiro em espécie para se manter ou cartões de crédito internacionais, entre outras perguntas. Assim como nos consulados, os oficiais de imigração também têm um perfil de pessoas “suspeitas”. Portanto, minha dica é… Quando chegarem ao guichê da imigração, mantenham a calma, tentem responder todas as perguntas da maneira mais segura e tranquila possível e apresentem todos os vouchers que vocês tiverem a mão (comprovante da reserva do hotel, comprovante da passagem aérea do retorno, voucher da excursão ou do pacote turístico, etc.).

Além do visto, há alguma outra exigência que eu deva saber?

Além do visto, alguns países também exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).  Regiões de floresta e regiões endêmicas exigem vacinas específicas como a da febre amarela e da malária. Para saber qual vacina é exigida em determinado país, deem uma olhada na home page da Egali, empresa especializada em intercâmbio (http://egali.com.br/2015/egali/pt/blog/slot-responde-quais-vacinas-preciso-tomar-antes-de-viajar-para-o-exterior/). Eles apresentam uma lista completa que pode ajuda-los. Ahhh! A vacina da febre amarela também é indicada caso vocês tenham interesse em viajar para a região norte do Brasil.

Onde tomar a vacina?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) possui em sua home page (http://www.anvisa.gov.br/hotsite/viajante/centros.pdf) uma listagem dos postos de saúde e as vacinas disponíveis, mas os principais aeroportos brasileiros também tem um centro de vacinação à disposição dos viajantes. No entanto, é necessário que a vacina seja tomada com pelo menos 8 dias de antecedência à viagem, pois ela pode provocar pequenas alergias e/ou desconfortos e não tem nada pior que viajar passando mal.


É obrigatória a compra de seguro viagem?

Grande parte dos países que integram a Comunidade Europeia (Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Romênia e Suécia) além da Islândia, Noruega e Suíça fazem parte do que eles chamam de “Tratado de Schengen”. Estes países exigem que o turista tenha um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros. Além deles, Cuba, Emirados Árabes Unidos, Qatar e Turquia também exigem o seguro. O seguro poderá ser exigido na entrevista no guichê da imigração ou durante algum incidente. Então, comprem! Eu sei que brasileiro é metido a valentão e sempre acha que nada vai acontecer a ele, mas a verdade é que eventualidades podem ocorrer (quebrar um dente comendo amendoim, quebrar uma perna esquiando, torcer o pé em uma rua histórica de paralelepípedos, sofrer com algum tipo de alergia, ter a bagagem extraviada ou roubada, etc.) e o seguro salva a vida nestas horas. Além disso, no montante de gasto total da viagem, o seguro tem um valor pequeno, então não deixem de adquiri-lo para tentar economizar, pois o barato pode custar caro a beça.

Qual a melhor empresa para comprar o seguro viagem?

É uma pergunta muito difícil de responder. Procure a empresa que tenha o melhor custo/benefício. Pergunte qual a recomendação do seu agente de viagem ou procure informação com outros turistas. Há diversas empresas no mercado, inclusive as instituições financeiras (bancos) oferecem seguros. O importante é que vocês adquiram esse serviço.

Caso tenham comprado um pacote turístico de uma operadora específica, o pacote já contempla o seguro viagem, então fiquem tranquilos!

Acho que é isso. Espero que eu tenha esclarecido algumas dúvidas e que essas dicas ajudem vocês nas suas próximas viagens. Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.